quinta-feira, 23 de junho de 2016

Boas Férias e Boas Leituras



Terminamos o ano letivo de 2015-2016, certos de que cumprimos a nossa missão. 

A articulação entre a biblioteca e o trabalho desenvolvido na sala de aula aumentou em relação ao ano anterior. 

 Alunos  e professores utilizaram o espaço da biblioteca com mais frequência. 

O número de livros requisitados pelos alunos também aumentou e foram muitas as atividades realizadas no âmbito do desenvolvimento das literacias (leitura, média e informação). 

Despedimo-nos com uma atividade dinamizada na escola EB1/JI do Aeroporto, que mostra bem o envolvimento dos docentes e dos alunos neste projeto.
video

quarta-feira, 22 de junho de 2016

LITERACIA DA LEITURA NAS ESCOLAS EB1/JI EM PARCERIA COM A RÁDIO ASAS DO ATLÂNTICO



Programa de rádio: Hora do Arco Iris
Existente desde dezembro de 2008, esta actividade tem como responsáveis a docente Cristiana Guimarães do Departamento do 1º Ciclo do Ensino Básico da Escola Básica e Secundária de Santa Maria e a locutora de rádio Lucélia Lopes. Realiza-se todos os sábados, entre as 14h e as 15h, e estima-se que, em cada ano letivo, a participação tenha sido, em média, de 200 crianças e 20 professores(as) de todas as escolas EBI/JI da ilha.
Tanto o trabalho prévio de preparação quanto a leitura realizada pelas crianças durante o programa se desenvolvem no âmbito das metas de aprendizagem estabelecidas para o domínio da Educação Literária no 1º Ciclo (ouvir ler e ler textos literários para a infância e textos da tradição popular; compreender o essencial dos textos escutados e lidos; ler para apreciar textos literários; ler em termos pessoais; dizer e contar, em termos pessoais e criativos).
Sucedem geralmente momentos de debate sobre os vários aspetos dos textos e, por vezes, a conversa abrange igualmente temas da preferência dos(as) participantes. Nos programas em que as crianças apresentam adivinhas, é frequente os/as ouvintes telefonarem para tentar descobrir a solução, o que provoca grande entusiasmo e alegria.
Deste modo, a participação numa atividade de tão forte cariz comunicacional, proporciona às crianças uma experiência muito rica na vertente da Oralidade, potenciando as capacidades para respeitar regras da interação discursiva; escutar discursos breves para aprender e construir conhecimentos; produzir um discurso oral com correção; produzir discursos com diferentes finalidades, tendo em conta a situação e o interlocutor.
Por vezes, verifica-se a disponibilidade de algumas docentes do departamento, grupos espontâneos de crianças da Ilha ou mesmo de Instituições locais (como os escuteiros, por exemplo) para participarem voluntariamente.
Também já tivemos a presença de convidados ligados à literatura nacional, como o escritor José Fanha e a atriz Maria do Céu Guerra, que se prontificaram a ler histórias infantis para o público da Hora do Arco-Íris.
Durante as interrupções letivas, a docente responsável irá dar continuidade ao programa, selecionando e apresentando dois textos narrativos e mantendo a conversação com a locutora.
Deste modo, preserva-se a continuidade do programa e a fidelização dos(as) ouvintes, pois acreditamos que  esta atividade, para além de criar laços entre as diferentes instituições da ilha e entre os membros da comunidade educativa e local,  contribui para que as crianças encarem a leitura com mais prazer e naturalidade  e se sintam cada vez mais seguras das suas intervenções orais. 
A professora responsável, Cristiana Guimarães

Oficina de Literacia e Competências Sociais



Projeto desenvolvido por:
-Grupo de crianças Pré-Escolar/Eb1/ JI de Vila Do Porto   
-Educadora Glória Moreira

Atividade final do projeto: Elaboração de um novo livro deforma a expandir a história original do livro: A QUE SABE A LUA? (de Michael Grejniel).
Depois de diversas atividades implementadas, desde o primeiro período ao redor da história “A que sabe a Lua?”, principiou-se a elaboração do novo livro com a construção de fantoches, as personagens da história. Através da manipulação livre dos fantoches e com a realização de pequenos teatrinhos conhecemos melhor as personagens e a sequência da história original e a partir daí surge o nosso livro que tem o título “A LUA SABE…”.
Nas imagens abaixo apresenta-se a capa e as páginas relativas à personagem do elefante, da tartaruga e autores.












A Educadora Glória Moreira






 









quinta-feira, 19 de maio de 2016

Formação para a literacia da informação



“Aprender com a Biblioteca Escolar

As práticas de literacia da informação visam dotar os alunos de conhecimentos que os capacitem para o acesso, produção e uso crítico da informação e para uma comunicação eficaz, ética e socialmente responsável.  (…)

“A biblioteca escolar assume-se como lugar privilegiado de acesso a recursos diversificados e de desenvolvimento desta literacia, em ambientes cada vez mais tecnológicos e complexos.”

 RBE

Formação

para a literacia da informação



Os alunos da turma 8º A, acompanhados dos docentes de Cidadania, Paula Rocha e Rui Resendes, participaram no dia 11 de maio, na Biblioteca Escolar,  numa sessão de formação, dinamizada pela coordenadora da BE, sobre um modelo de pesquisa na Internet – o “BIG 6” -, uma alegoria em que se utiliza a construção de um ninho por uma ave brilhante como um modelo a seguir pelos alunos na pesquisa de informação.

  



Os alunos foram orientados para a
importância do uso do guião de pesquisa e para o seu total cumprimento. Com isto, pretende-se que os alunos acedam “à informação de forma eficiente e eficaz”, avaliem “a informação de forma competente e crítica” e usem“a informação de forma correta e criativa”.    
O nosso maior objetivo é formar cidadãos

quarta-feira, 18 de maio de 2016

PARABÉNS!!!!! Concurso “II Concurso regional Palavras com História” - resultado


A Rede Regional de Bibliotecas Escolares promoveu pelo segundo ano consecutivo o concurso «Palavras com História» destinado aos alunos do ensino básico das escolas da Região.
O júri, constituído por docentes da Rede Regional de Bibliotecas Escolares, do Departamento de Línguas e Literaturas Modernas da Universidade dos Açores e pela diretora da Biblioteca Pública e Arquivo Regional de Ponta Delgada, após avaliação dos textos concorrentes, procedeu à seleção dos melhores trabalhos dos 1.º, 2.º, 3.º e 4.º escalões.
Foram avaliados trezentos e nove textos escritos, distribuídos da seguinte forma: sessenta e nove do primeiro escalão; cento e setenta e quatro do segundo escalão; setenta e seis do terceiro escalão; e dezassete do quarto escalão, originários de todas as ilhas da Região, exceto da ilha Graciosa.
Este concurso conta com o apoio exclusivo da Plátano Editora que edita os cartazes e faculta os prémios.
Os trabalhos premiados, de acordo com o regulamento do concurso, foram os seguintes:
1.º Escalão
1.º Lugar – Inês Martins, do 3.º F da EBI de Rabo de Peixe
2.º Lugar – Inês Picanço, do 4.º 6 da EBI Francisco Ferreira Drummond
3.º Lugar – Maria Pereira, do 3.º A da EBI da Praia da Vitória
4.º Lugar – Rodrigo Nunes, do 4.º F da EBS de Calheta
5.º Lugar – Rogério Veiros, do 4.º F da EBS de Calheta
2.º Escalão
1.º Lugar – Clara Rocha, do 6.º N da EBI Roberto Ivens
2.º Lugar – Luana Quadrado, do 6.º B da EBS de Santa Maria
3.º Lugar – André Carvalho, do 5.º A da EBS de Santa Maria
4.º Lugar – Carolina Frias, do 6.º B da EBS de Nordeste
5.º Lugar – Laura Resendes, do 5.º D da EBI da Praia da Vitória
3.º Escalão
1.º Lugar – Valéria Gomes, do 8.º A da EBS da Madalena
2.º Lugar – André Neto, do 8.º 4 da EBS Tomás de Borba
3.º Lugar – Carla Santos, do 7.º B da ES de Lagoa
4.º Lugar – Margarida Cordeiro, do 8.º A da EBS da Madalena
5.º Lugar – Pedro Amaral, do 8.º B da EBS de Santa Maria
4.º Escalão
1.º Lugar – Marta Rosa, do 9.º A da EBI Francisco Ferreira Drummond
2.º Lugar – Ana Ávila, do 9.º C da ES Jerónimo Emiliano de Andrade
3.º Lugar – Gabriel Pavão, do 9.º C da ES Jerónimo Emiliano de Andrade
4.º Lugar – Por deliberação do júri, não foi atribuído
5.º Lugar – Por deliberação do júri, não foi atribuído